Pular para o conteúdo principal

Mitos sobre Linux 1: Introdução

Depois de muito ouvir sobre, perguntas feitas e comentários mal embasados, decidi compor os posts à seguir, para não precisar mais iniciar uma palestra toda vez que o assunto surgir. Não explicarei o que é Linux aqui, muito menos sistema operacional, se quiser saber melhor recomendo que gaste de 1 a 3 minutinhos com pesquisa que não lhe fará mal, mas para os menos informados sobre, Linux é um sistema operacional de código fonte aberto, ou seja, qualquer um pode alterar, e gratuitamente! Logo, o sistema alterado pode ou não ser gratuito, mas diante de tantas regras são, em sua maioria, completamente ou parcialmente gratuitos, às vezes sendo pagos apenas alguns serviços adicionais.

Hoje em dia, o sistema operacional mais utilizado no mundo é o Windows (atualmente sua versão denominada XP). Não levantarei aqui os pontos fracos desse sistema operacional, bem porque até os mais desavisados e menos entendidos sabem bem ou já ouviram falar sobre “vírus de computador” e “tela azul”. O objetivo desse post é mostrar a vantagem financeira de se usar Linux. No caso do Windwos, o que acontece é que ele não recebe apenas o título de sistema operacional mais utilizado no mundo, mas também de “o sistema operacional mais pirateado” no mundo! Não só no ponto de vista financeiro e político isto é preocupante, gerando receio de outras empresas do ramo tecnológico ao virem ao Brasil, com medo de terem seus produtos crackeados por nós brasileiros (deixando bem claro que não afirmo aqui que o Brasil é o único país no mundo a piratear produtos, muitos dos cracks que já utilizei foram retirados de sites/fóruns estrangeiros). Mas qual o problema de se utilizar software crackeado? Além de ser um crime, não ha necessidade! Apresentarei através de alguns posts a seguir que não ha necessidade alguma de se utilizar software crackeado; exitem muitas alternativas GRATUITAS e de qualidade, disponíveis para qualquer um que necessite e queira quebrar esse círculo de cracks, keygens e etc.

Nos posts à seguir, falarei sobre alguns dos mitos do Linux que fazem alguns usuários não abandonar suas cópias "semi-originais" do Windows, mas mostrarei que são apenas mitos. 



*Lembrando: esse post de dirige aos usuários comuns de computadores pessoais, não a empresas. Não serei hipócrita de dizer que aquela empresa de design que trabalha anos com o pacote Adobe vai encontrar soluções de mesmo nível gratuitas, apesar de atualmente existirem algumas empresas que trabalham somente com software open-source, o que reduz bastante os gastos das mesmas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Usando o Notepad++ para compilar programas Java

Para quem se aventura agora no mundo da programação, já deve ter ouvido falar do Notepad++. A ferramenta, que dá suporte as linguagens C, C++, Java, C#, XML, HTML, PHP, Javascript, ASCII art, doxygen, ASP, VB/VBS, SQL, Objective-C, CSS, Pascal, Perl, Python, Lua, TeX, TCL, Assembler, Ruby, Lisp, Scheme, Properties, Diff, Smalltalk, Postscript, VHDL, Ada, Caml, AutoIt, KiXtart, Matlab, Verilog, Haskell e InnoSetup, é indispensável para qualquer programador, desde aquele novato ao mais experiente. Apesar dos recursos de macro, multi-linguas e a possibilidade de executar aplicativos externos, o programa mantém a função de bloco-de-notas. Uma possibilidade legal é que o programa possibilita o uso de scripts, com instruções automatizadas para que você economize seu tempo. E um script de execução que eu achei, que assim como é para mim será bem útil para todos, é o de compilar arquivos .java. Para configurar essa função, tecle F6 para a 1ª execução do eu arquivo .java no Notepad++. Agora vo…

Mapa mental: nunca mais se perca!

Enquanto me perdia em milhares de ideias que apareciam e se iam, desesperado pela falta de organização das informações, achei uma ferramenta que tem me ajudado desde então: Mapas mentais. Mas afinal, o que são, e como usá-los?

Por isso que programador em Java é coisa rara...

"Por isso, sempre certifique-se de compilar o programa a cada passo importante...
o cafézinho deveria ser um suquinho de maracujá..."
Quem nunca se deparou com uma situação parecida? Você passa horas se dedicando àquele código mega comprido, com trocentas linhas, whiles, if e vetores para no final, talvez por 1 vírgula ("," <-- grandessíssimas filhas da pontuação e sintaxe...) dar tudo errado.Por isso que programador em Java é coisa rara..., upload feito originalmente por Leandrw da silva.